< O BEM AMADO >

Protagonizado por Marco Nanini com direção de Enrique Diaz e produção artística de Guel Arraes. Odorico Paraguaçu, prefeito de Sucupira, lugarejo do interior baiano, protótipo interiorano, com vocação para a verborragia e demagogo por natureza, espelho do homem público de província latino-americano, tem por ideal mórbido e fixo dar à pacata e sonolenta comunidade, onde há muito ninguém morre ou algum crime é cometido, um cemitério. Para isso, no entanto, e assim satisfazer seus sonhos de grandeza, é forçoso “encontrar” um morto. E em política, declara Odorico, “os finalmentes justificam os não obstantes”.

Assim, um cangaceiro famoso ascende ao posto de delegado, um órgão de imprensa é invadido, a honra de uma esposa é maculada e ala se torna a pivô e alvo de sangrento atentado, a mentira e a calúnia grassam, tudo isso acobertado pela malícia e o cinismo do experiente politiqueiro.

A linha que cose todo o entrecho é inegavelmente a fala arrevesada e pretensiosa da figura do prefeito, que, com sua lábia, eivada de saborosos neologismos, leva no bico a tudo e a todos. Alguns exemplos de seu pitoresco e, porque não, brasileiríssimo linguajar: “esses ateístas despenitentes” , “namorismo” , “jenipapista” , “botar de lado os entretantos e partir para os finalmentes” , “caluniamento” , “prafrentemente” , “mau-caratista” , “demagogista” , “deverasmente” , “bardenistas” expressões estas que, com o impressionante êxito de O bem - amado ficaram na boca do povo. Odorico é a encarnação mesma do Brasil doutor, do deputado baiano, da cartola na Senegâmbia e o falar difícil, das promessas verbalizadas e nunca cumpridas, daquilo, enfim, que historicamente ele seguiu, em jargão modernista à “fatalidade do primeiro branco aportado e dominado politicamente as selvas selvagens” e redundou numa realidade social com suas instituições em transe, imersas no caos, a pedir sepultura, às vésperas da débâcle final.

Naturalmente, Odorico é também um ser humano em crise. O vácuo entre suas pretensões de grandeza, que comicamente se revelam na empolada linguagem, e a triste realidade de uma região, para ele frustrantemente subdesenvolvida (outrora a cidade tivera de uma só vez seis... cadáveres e a possibilidade de seis enterros: “Tempo de fartura!...” ), acentua as contradições de sua existência e da própria política que ele representa e ladinamente personifica.

Odorico, o político, o doutor, o tribuno, Odorico o grande pacificador, é, em escala provinciana, a engraçada e irônica versão de personagens bem mais sinistros da realidade política nossa e latino-americana como nos tempos de Somoza, Pinochet, Batista, Videla e outros melhor conhecidos do público brasileiro, uns mais, outros menos “simpáticos” , mas todos com o mesmo objetivo: inflar o próprio ego à custa do povo.

TEMPORADAS

PROGRAMA

FICHA TÉCNICA

CLIPPING

autor

DIAS GOMES

 

direção

ENRIQUE DIAZ

 

produção artística

GUEL ARRAES

 

adaptação

CLÁUDIO PAIVA e GUEL ARRAES

 

elenco

MARCO NANINI

BEL GARCIA

CÉSAR AUGUSTO

GUSTAVO GASPARINI

MARCELO OLINTO

RAQUEL ROCHA

SUSANA RIBEIRO

 

stand-in

RAFAELA AMADO

 

elenco de apoio

PATRICK SAMPAIO

RAFAEL ROCHA

 

coach para Marco Nanini

MARCOS DAMIGO

 

assistência de direção

OLÍVIA GUIMARÃES

 

direção de arte e cenografia: GRINCO CARDIA

figurino: ANTÔNIO GUEDES

visagismo: ROSE VERÇOSA

iluminação: MANECO QUINDERÉ

trilha original: DJ DOLORES

 

fanfarra

ORQUESTRA POPULAR DA BOMBA DO HEMETÉRIO

interferências ao vivo: RAFAEL ROCHA

produção musical RJ: LUCAS MARCIER

pesquisa musical: CLÁUDIO OLIVOTTO

preparador vocal: PEDRO LIMA

corpo: DUDA MAIA

 

programação visual: DEBORA BENSUSAN

fotografia: FLÁVIO COLKER

assessoria de imprensa: VANESSA CARDOSO

texto release: ÂNGELO DE ALMEIDA

 

produção: FERNANDO LIBONATI

direção de produção: OLÍVIA GUIMARÃES

produção executiva: JONAS CALMON KLABIN

produção de base: TATHIANA MORÃO

assistente de produção: PATRICK SAMPAIO

financeiro: GEISA LIMA e ANA LÚCIA RODRIGUES

 

realização

PEQUENA CENTRAL DE PRODUÇÕES ARTÍSTICAS

VIDEO

07/09/07 a 27/01/08  -  Temporada Rio de Janeiro / Teatro das Artes

 

18/04/08 a 27/07/08  -  Temporada São Paulo / Teatro Cultura Artí­stica

 

Rua Conde de Irajá, 98 - Rio de Janeiro / RJ                       Telefone: 21. 3797 0100                       Email: contato@pequenacentral.com.br